Série Motores Aeronáuticos - Semana 2

BOA PESSOAL

       Continuando nossas postagens semanais sobre motores aeronáuticos, trago esse dinossauro dos motores Turbo Hélice, falaremos hoje do Rolls Royce T56-15  e de quebra um pouco do T56-14.



 Bom mas que motor é esse onde ele é usado?


       O T56 entrou em produção em 1954, fabricado pela Allison Engine Company, uma subsidiaria da General Motors, este era produzido e vendido para a Lockheed, para uso no C130 Hercules e P3 Orion ambos aeronaves militares,


    Alem desta versão militar o motor foi também chamado de 501D e usado como comercial no Electra e Convair CV 560, com a nova versão do Hercules o C130J Super Hercules a Rolls Royce se viu obrigada a evoluir o motor, assim nasceu o AE2100, uma releitura do T56 com sistemas modernos como FADEC e profundas modificações de projeto, assim provavelmente será o fim desse motorzão.  


Então vamos a ficha técnica.

O T56 é dividido em quatro partes modulares sendo elas:

1- Gear Box (Caixa Redutora)
2- Seção Fria (Compressor)
3- Seção quente (Câmaras, Turbina e Escape)
4- Accessory Gear Box (Caixa de Acessórios)

Gear Box

    Sua caixa redutora possui dois estágios de redução e sua função e reduzir as 13.820 rotações por minuto entregue pelo eixo do motor para 1021 RPM assim entregando para a hélice baixa RPM para sua melhor performance e com torque de sobra para sua operação, alem desta função, nela é instalado o Alternador, Starter pneumático, Tacômetro e Bombas de Óleo e Fluido hidráulico.    

Compressor

    Seu compressor é de fluxo axial e possui 14 estágios com sangrias de ar no 5º e 10º estágio sendo feita por quatro válvulas instaladas em ambos os estágios, nesta seção é instado aproximadamente 90% dos componentes ,tubulações ,cablagens válvulas e bombas. Fazem parte do compressor o Inlet e o diffuser (imagem abaixo) e abaixo do inlet é instalada a caixa de acessórios. 


     Este compressor possui um taxa de compressão de 9.5:1 e entrega as câmaras de combustão uma pressão de 140 PSI, parte deste ar é utilizado para acionamento das válvulas, componentes e sistema de ant-ice outra parte maior é levada para as câmaras, seu rotor é instalado em dois rolamentos um no inlet e outro no difusor, por se tratar de um motor antigo, seus componentes são de maioria hidro-mecânicos e muitos são acionados por ar ou fluidos.

Seção quente


Essa seção é composta por seis câmaras de combustão do tipo canular  instaladas entre o difusor e o inlet da turbina, nelas são instalados seis bicos injetores e a sua volta é instalado o combustion case, peça que da acabamento e abriga o fluxo de ar secundário, alem de velas de ignição e válvulas de dreno, apos a sub seção de combustão temos a sub seção de turbina ela é constituída por inlet da turbina e um suporte traseiro (RBS) que da forma também ao escape deste motor, o rotor da turbina possui quatro rodas, toda a força gerada neste rotor é levado ao compressor e a caixa de redução por apenas um eixo nesta seção são instalados sensores de temperatura e uma bomba de óleo que lubrifica o rolamento traseiro da seção quente. 

Accessory Gear Box (Caixa de Acessorios)

Este componente transmite força e reduz a velocidade em vários eixos onde são instalados componentes como bomba de combustível, sensor de velocidade, filtro de óleo, bombas de óleo e o Fuel Control Unit o FCU, cada eixo possui uma engrenagem que reduz a rpm para faixa de operação correta de cada componente, esta caixa é ligada ao eixo principal através de uma engrenagem de 90° instalada no inlet. 

T56-14


      Utilizado no P3 Orion ele possui as mesmas características do T56-15 porem sua caixa de redução e baixa e o motor produz mais potencia.


      Espero que tenham gostado, eu e o Valdivino vamos ver qual vai ser o próximo, se alguém tiver um motor que queira aqui na nossa seção é só falar!!


Fontes de Fotos e Dados:









Carlos H Peroni jr 
mapblog.sac@gmail.com
 





Nenhum comentário:

Postar um comentário